LANÇAMENTO DO LIVRO “CANTO MINERAL”, NA ACADEMIA MINEIRA DE LETRAS, COM POEMAS DE DRUMMOND E ILUSTRAÇÕES DE CARLOS BRACHER, EM 16/8

IDEALIZADA PELO NETO DO POETA, OBRA BUSCA UMA INTEGRAÇÃO ENTRE OS POEMAS E OS DESENHOS, COM REFERÊNCIAS À MINEIRIDADE

Bracher
Crédito: Divulgação


Academia Mineira de Letras recebe no dia 16 de agosto, às 19h30, o lançamento do livro “Canto mineral” (editora Bazar do Tempo), uma coletânea com 54 poemas de Carlos Drummond de Andrade, ilustrada com pinturas do artista e acadêmico Carlos Bracher. A apresentação terá a presença de Bracher e do secretário estadual de Cultura, também membro da AML, Angelo Oswaldo, que assina o posfácio do livro.

O evento faz parte do programa Universidade Livre – Plano Anual de Manutenção AML, realizado mediante a Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio do Instituto Unimed-BH, por meio do incentivo fiscal de mais de 4,7 mil médicos cooperados e colaboradores. A AML integra o Circuito Liberdade.

Idealizado por Pedro Drummond, neto do poeta e curador de sua obra há mais de 30 anos, “Canto mineral” quer mostrar a identificação da mineiridade entre o “Carlos poeta” e o “Carlos pintor”. “O livro vem com uma nova leitura dos poemas, feita com os desenhos de Bracher. Já os versos do Drummond acrescentam outros matizes às ilustrações”, descreve Pedro Drummond, que organiza a obra ao lado da gestora cultural Joziane Perdigão Vieira, estudiosa da produção literária drummondiana.

Carlos Bracher, por sua vez, conta que Drummond deixou o seguinte registro no livro de visitantes da Galeria Bonina, em Copacabana: “Encontrei-me com Minas Gerais através da pintura de Carlos Bracher. É o maior elogio que, de coração, lhe posso fazer. Viva, Minas!” O pintor revela que esta é a primeira vez que faz trabalho de ilustração. “Minha pintura é de pouco desenho. Ela surge da cor, então, foi um desafio experimentá-lo. Escolhi o carvão porque ele é uma pré-pintura, uma elaboração dela, um vetor que utilizo já na pintura em alguns traços”, diz ele.

A obra se debruça sobre um dos principais afetos de Drummond: Minas Gerais. A mineiridade aparece na juventude em Itabira, em Belo Horizonte e, depois, como memórias, enquanto vivia no Rio de Janeiro, em tons de humor, crítica e bem-querer. “Drummond tinha Itabira dentro de si independente de onde morasse. Sua poesia é absolutamente encantadora e completa em todas as fases”, reflete Bracher. O posfácio de Angelo Oswaldo fecha a obra, com um estudo em que analisa a secular tradição poética mineira.

O livro “Canto mineral” é um projeto executado por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais, com patrocínio da Cemig e das Livrarias Leitura.

Sobre os autores:

Carlos Drummond de Andrade nasceu em 1902, em Itabira, e é considerado um dos mais importantes escritores da língua portuguesa. Destacou-se no segundo período do Modernismo, com o livro de
estreia, “Alguma poesia” (1930). Publicou mais de 50 livros, entre eles, “Sentimento do mundo” (1940), “A rosa do povo” (1945), “Claro enigma” (1951) e a trilogia “Boitempo” (1968, 1973 e 1979), uma sequência de memórias poéticas sobre Minas. Foi cronista no Correio da Manhã e no Jornal do Brasil. Também publicou contos, ensaios, memórias e um livro infantil, “História de dois amores” (1985). Sua obra foi traduzida em diversos idiomas. Morreu no Rio de Janeiro em 1987, aos 84 anos.

Carlos Bracher nasceu em Juiz de Fora, em 1940. Membro da Academia Mineira de Letras e doutor honoris causapela Universidade Federal de Ouro Preto, realizou exposições individuais no Brasil e no exterior, em museus e galerias da Europa, da Ásia e das Américas. Entre 2014 e 2015, percorreu o Brasil com a mostra “Bracher: pintura & permanência”, sob a curadoria de Olívio Tavares de Araújo, no Centro Cultural Banco do Brasil, com a qual venceu o prêmio Destaque Especial de melhor mostra do ano, concedido pela Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA). Destacam-se entre seus trabalhos as séries “Homenagem a Van Gogh” (1990), “Do ouro ao aço” (1992), “Brasília” (2007), “Petrobras” (2012) e “Bracher: tributo a Aleijadinho” (2014). Tem sete livros publicados, além de diversos filmes produzidos sobre sua obra.

Sobre os organizadores:
Joziane Perdigão Vieira é itabirana como Carlos Drummond de Andrade, formada em Jornalismo pela UFMG e estudiosa da obra drummondiana. Atua há 15 anos na área de gestão cultural e comunicação social.

Pedro Augusto Graña Drummond é neto de Carlos Drummond de Andrade e curador de sua obra há mais de 30 anos. Organizou diversas antologias do autor, sendo a mais recente “Uma forma de saudade: páginas de diário” (2017). Colaborou em obras derivadas para cinema, dança e audiolivros e roteirizou e adaptou textos do poeta para teatro: “Crônica viva” (1990), “O gerente” (1991), “Caminhos de João Brandão” (1994). Foi consultor do evento “Drummond: alguma poesia no CCBB” (1990) e organizador do fórum “Itabira: centenário Drummond” (Itabira, 1999 e 2000). Também atua como artista plástico, desenhista gráfico, cenógrafo e produtor cultural.

SERVIÇO:

Lançamento do livro “Canto mineral” – coletânea de poemas de Carlos Drummond de Andrade e ilustrações de Carlos Bracher (148 páginas, editora Bazar do Tempo)

Data: quinta, 16 de agosto

Horário: 19h30

Local: Academia Mineira de Letras (rua da Bahia, 1.466, Lourdes, BH/MG).

Entrada gratuita

Preço do livro: R$ 80

academiamineiradeletras.org.br

 

Instituto Unimed-BH

Associação sem fins lucrativos, o Instituto Unimed-BH, há 15 anos, contribui com o desenvolvimento social em localidades de atuação da Unimed-BH. Para isso, desenvolve cinco grandes programas: Comunidade, Meio ambiente, Voluntariado, Adoção de espaços públicos e Cultura. Saiba mais em www.institutounimedbh.com.br.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*